Atualmente, a lipoaspiração é um dos procedimentos mais realizados em cirurgia plástica. Desenvolvida há cerca de 30 anos, esta técnica oferece vantagens significativas sobre os outros métodos de cirurgia do contorno corporal. A mais importante delas refere-se às cicatrizes, que são muito menores (em torno de 1 cm) e ficam praticamente imperceptíveis devido ao posicionamento das incisões em áreas estratégicas do corpo, como nas dobras naturais da pele.

A lipoaspiração visa remover os depósitos de gordura que habitualmente localizam-se nos quadris, coxas, abdome, joelhos e no pescoço. Os pacientes com gordura localizada e que não respondem a programas de dieta e exercícios são candidatos ideais para esta cirurgia. Vale lembrar que o procedimento não substitui os bons hábitos de alimentação, exercícios e não deve ser indicado em pacientes obesos que consideram-no a “salvação” em termos de perda de peso.

A lipoaspiração deve ser cuidadosamente indicada, pois os resultados dependem principalmente da capacidade de retração da pele no local tratado, após a remoção da gordura subjacente. Infelizmente, as irregularidades e depressões causadas pela “celulite” podem não ser eliminadas pela lipoaspiração, embora possa haver algum grau de melhora na aparência estética da região tratada.

 

A SEGURANÇA DO PROCEDIMENTO


Levando em consideração o número de cirurgias realizadas, a lipoaspiração é considerada um procedimento cirúrgico de baixo risco, com uma incidência muito pequena de complicações. Mas, para que este dado se confirme a cada procedimento, é necessário que o cirurgião plástico responsável realize o procedimento em local com estrutura adequada, equipe treinada e todo o equipamento necessário. Em contrapartida, o paciente necessita gozar de boa saúde. Por ser um procedimento desenvolvido para o tratamento de gordura localizada, a lipoaspiração não é recomendada para a realização de emagrecimento. Neste caso deixa de ser um procedimento seguro e há a ocorrência de complicações na grande maioria dos casos, podendo representar risco de vida ao paciente.

 

QUAL O PACIENTE IDEAL?


O resultado depende de muitos fatores. O paciente com pouca gordura localizada e sem excesso de pele pode esperar um bom resultado. No caso de pacientes após uma gestação, é necessária uma avaliação cautelosa, evitando um resultado final indesejável. Isto por que a gestação pode provocar flacidez na região abdominal acima e abaixo do umbigo. Esse excesso de pele pode gerar maior flacidez após a lipoaspiração.o que é Lipoescultura? A lipoescultura é um procedimento cirúrgico que é composto de lipoaspiração, preparação da gordura e colocação nos lugares predeterminados (geralmente na face, região glútea, face interna de coxa e panturrilha), para aumentar o volume.

 

PODE SER COMBINADA COM AS OUTRAS CIRURGIAS?


A lipoaspiração é uma das cirurgias mais combinadas com outros procedimentos estéticos. A combinação é possível, desde que sejam respeitados os limites de segurança.

 

QUAL O TIPO DE ANESTESIA? E O TEMPO DE INTERNAÇÃO?


Dependendo das regiões operadas, a anestesia pode ser local com sedação, peridural ou geral. O tempo de internação varia – de quatro a 12 horas e raramente ultrapassa 24 horas.

 

A LIPOASPIRAÇÃO É DOLORIDA?


A área operada fica sensível e dolorida a partir do segundo dia e esta sensibilidade pode aumentar até o terceiro dia, diminuindo gradativamente a partir do quarto dia. Após do sétimo dia, o paciente sente maior desconforto somente na hora de levantar e sentar. A dor é tratada com analgésicos comuns e são usados analgésicos mais fortes somente quando é necessário.

 

COMPLICAÇÕES


São raras e na maioria das vezes transitórias. Podem ocorrer Seroma (acúmulo de líquido subcutâneo), hematomas e irregularidades nas áreas tratadas. A trombose é uma complicação que pode acontecer em qualquer cirurgia e não somente na cirurgia plástica. As irregularidades provenientes de uma lipoaspiração podem ser corrigidas num segundo tempo sob a anestesia local.

 

ATIVIDADES


Nas lipoaspirações pequenas e médias o paciente pode voltar ao trabalho já no dia seguinte ou alguns dias depois. A atividade física é liberada depois de duas ou três semanas. O retorno à academia, no entanto, somente após trinta dias.

 

O RESULTADO DEFINITIVO


Muitas vezes já no pós-operatório imediato o paciente percebe a diferença. Mas com o inchaço a partir do segundo dia, o edema pode muitas vezes ultrapassar a medida que o paciente possuía antes da cirurgia. O resultado final pode ser visto depois de seis meses.